A psicanálise é, em essência, uma cura pelo amor.
(Sigmund Freud)

Armaduras para enfrentar a vida

“Morramos dentro da armadura, como diz o rei Macbeth.” (Sigmund Freud) Freud, em março de 1910, bem antes de sua morte – que ocorreu em setembro de 1939 –, escreveu uma carta a um de seus melhores amigos, Oskar Pfister, pastor protestante da Suíça, na qual confessa seu medo de ter que enfrentar, em algum …

Continue lendo

Maternidade é o não-saber!

“O amor materno não é inerente às mulheres. É adicional. A maternidade é mais difícil de viver do que em geral se crê. A toda-poderosa natureza não dotou a mulher de armas suficientes para enfrentá-la”. (Elisabeth Badinter) Quando eu engravidei pela primeira vez, a minha barriga se tornou pública. Pessoas sem intimidade alguma, ou mesmo …

Continue lendo

Ciúme: tempero ou veneno?

O excesso de ciúme pode acabar com qualquer relacionamento, e só quem o sente na pele sabe o grande sofrimento e tortura que causa. Um pouco de ciúme pode ser considerado um tempero na relação a dois, funcionando como poderoso afrodisíaco capaz de manter a motivação para a conquista. Nas situações de ameaça, pode indicar …

Continue lendo

Maktub: estava escrito ou há a possibilidade de reescrever?

Maktub é uma palavra que veio do árabe e significa “já estava escrito”, ou “tinha que acontecer”. Remete ao que está predestinado, e assim não pode ser evitado. Ouvi essa expressão pela primeira vez em uma cena de novela. Faz um bom tempo inclusive. Maktub era frequentemente dito por uma das personagens quando algo não …

Continue lendo

Desperta, Débora, desperta!

Débora desempenhou um papel decisivo na vida de Israel. É uma história que transcende a tradição religiosa de um determinado povo. A vida de Débora está repleta de atributos que ganham força a cada nova geração. Não têm prazo de validade. Seu jeito de ser, suas ações e a forma como lidou com os desafios …

Continue lendo

Horizontes que nos convocam

“O destino de tudo é futuro, no arco do movimento de tudo, as coisas navegam na direção de um porto que não chega nunca, uma vez que cada porto é uma véspera de porto.” (Hélio Pellegrino) Gosto de contemplar horizontes. De observar o céu tocando a terra ou o mar entrelaçado com o céu. Quando …

Continue lendo
© 2019 Caminhos da Psicanálise. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por CriaTec