Caminhos da Psicanálise

Clínica Caminhos da Psicanálise atendimento e supervisão presencial e on-line

O desafio da interpretação: para que servem nossos sonhos?

Freud descobriu que, quando sonhamos, surge um “estranho”, e nem sempre o reconhecemos como nós mesmos, no entanto, somos, sim, nós mesmos. Como sabemos, os sonhos são a janela para olharmos nosso mundo interno. São a chave que une o conscien­te e o inconsciente, e eles têm um sentido. O sentido a que me refiro …

Continue lendo

O processo da sedução

Homens e mulheres se empenham de várias maneiras quando estão interessados em alguém. Se esforçam para serem notados, admirados, aceitos e escolhidos. O processo da sedução, em muitos casos, começa em atendimento a um chamado inconsciente. No entanto, é impossível conquistar alguém que não quer ser conquistado. A consciência de que uma pessoa é interessante …

Continue lendo

Desejos e emoções que tocam o nosso corpo          

O reconhecimento de nossas emoções e a identificação dos nossos sentimentos e desejos constituem fatores de extrema importância para o equilíbrio psíquico. É através da expressão de nossas emoções que vivemos a vida, e não apenas “passamos” por ela. Continuamente somos tomados por sentimentos provocados por fatos que ocorrem em torno de nós. Nos zangamos, …

Continue lendo

Deixando para depois

Muitas pessoas têm a tendência para adiar decisões que lhe são importantes: adiam o início de uma dieta, o conserto do carro, a procura de um emprego melhor, o fim de um relacionamento que não dá mais certo, o início de um tratamento. O hábito de adiar, muitas vezes, cria problemas e, talvez, o maior …

Continue lendo

Horizontes que nos convocam

“O destino de tudo é futuro, no arco do movimento de tudo, as coisas navegam na direção de um porto que não chega nunca, uma vez que cada porto é uma véspera de porto.” (Hélio Pellegrino) Gosto de contemplar horizontes. De observar o céu tocando a terra ou o mar entrelaçado com o céu. Quando …

Continue lendo

Novo ano, novas portas e novos horizontes

“A hora de viver é um ininterrupto lento rangido de portas” (Clarice Lispector). Na poesia “No meio do caminho”, Carlos Drummond de Andrade diz: “no meio do caminho tinha uma pedra, tinha uma pedra no meio do caminho”. Parafraseando Drummond, podemos dizer: “no meio do caminho tinha uma porta”. Há muitas portas nos caminhos da …

Continue lendo
© 2021 Caminhos da Psicanálise. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por CriaTec