A psicanálise é, em essência, uma cura pelo amor.
(Sigmund Freud)

O desafio da interpretação: para que servem nossos sonhos?

Freud descobriu que, quando sonhamos, surge um “estranho”, e nem sempre o reconhecemos como nós mesmos, no entanto, somos, sim, nós mesmos. Como sabemos, os sonhos são a janela para olharmos nosso mundo interno. São a chave que une o conscien­te e o inconsciente, e eles têm um sentido. O sentido a que me refiro …

Continue lendo

Para que servem os nossos sonhos?

Os sonhos sempre intrigaram a humanidade. Provocaram muitas inquietações. Trariam eles alguma revelação ou mensagem? Teriam algum sentido? Poderiam ser vistos como cartas cifradas? Um antigo texto egípcio diz: “Deus criou os sonhos para mostrar o caminho àquele que dor­me, cujos olhos estão nas trevas”. Mostra que os antigos, além de darem importância aos sonhos, …

Continue lendo

O processo da sedução

Homens e mulheres se empenham de várias maneiras quando estão interessados em alguém. Se esforçam para serem notados, admirados, aceitos e escolhidos. O processo da sedução, em muitos casos, começa em atendimento a um chamado inconsciente. No entanto, é impossível conquistar alguém que não quer ser conquistado. A consciência de que uma pessoa é interessante …

Continue lendo

Um equívoco sobre a psicanálise

Mais do que uma ‘jornada pelo autoconhecimento’ com a consequente imputação de nossas limitações aos traumas passados, a psicoterapia é o reconhecimento de que eu sou responsável pela minha história. Texto escrito por Felipe Pimentel* e publicado no Estadão – 16 de abril de 2018. Há um equívoco que muitas pessoas cometem sobre a psicanálise e …

Continue lendo

Vivendo uma “imagem”

Imagem é uma espécie de “retrato projetado”, geralmente melhor que o original; é um tipo de fachada fabricada para se oferecer aos outros. Essa imagem pretende, em princípio, aparentar uma pessoa diferente do que se é. Funciona como um espelho distorcido, que necessita do “eu” para existir, mas que não lhe é fiel, pois valoriza …

Continue lendo

A culpa nossa de cada dia

A culpa é um tipo de angústia, uma sensação acompanhada de sentimentos de inadequação e mal-estar. Seu sentimento esboça o contorno de muitas ações humanas. “Sentir-se culpado” e “provocar culpa” nos outros são mecanismos que costumam ocorrer com certa frequência nas relações entre pais e filhos, marido e mulher, namorados e amigos. Na verdade, a culpa …

Continue lendo

A “linguagem” dos sintomas

São muitas as pessoas que manifestam sua ansiedade através de um mal-estar orgânico. A mente angustiada pode fazer seu  protesto por meio do corpo. Ao contrário do que se costuma pensar, o sintoma muitas vezes é “efeito” e não “causa” do sofrimento. Alguns parecem “pedir” para serem interpretados e compreendidos. É sempre muito importante saber …

Continue lendo

O que se espera de um analista?

No início de um tratamento psicanalítico, é muito natural o paciente ficar apreensivo: “Será que poderei falar sobre tudo aqui?” “O que contarei ficará apenas entre nós?”. A liberdade de dizer “tudo o que lhe vem à mente”, sem censura, sem programar nem organizar nada, é combinado desde o começo. Porém, mesmo assim, a pessoa …

Continue lendo

Palavra que escapa

A importância das palavras aparece em todas as obras freudianas, porém, uma das mais agradáveis leituras é: Sobre a psicopatologia da vida cotidiana. Sem nos obrigar a digerir muitos comentários teóricos, o autor nos dá explicações fascinantes para certos fenômenos mentais comuns em nosso dia a dia. Através de vários exemplos, revela seu espírito de …

Continue lendo
© 2019 Caminhos da Psicanálise. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por CriaTec