A psicanálise é, em essência, uma cura pelo amor.
(Sigmund Freud)

A psicanálise e os discursos religiosos fundamentalistas

O novo cenário político brasileiro, no qual fé e política andam de mãos dadas, é um exemplo de algo antecipado por Jacques Lacan em 1974: “[a religião] não triunfará apenas sobre a psicanálise, triunfará sobre muitas outras coisas também. É inclusive impossível imaginar o quão poderosa é a religião”[1]. Lacan percebe a religião como algo …

Continuar lendo

Manias ou  “TOC”?

É comum as pessoas terem certas manias, medos ou preocupações que as levam a determinados comportamentos. Em função disso, algumas são inclinadas a conferir, por exemplo, se fecharam o gás, se trancaram mesmo a porta antes de sair  de casa, se desligaram o ferro de passar roupa etc. Porém, quando esses comportamentos se tornam excessivos, …

Continuar lendo

Ser amado é uma conquista

Diferentemente do que o senso comum imagina, ser amado é uma conquista, uma construção. Não é uma dádiva que cai dos céus para tornar felizes alguns abençoados ou eleitos pelo destino. Escuto mulheres extremamente atraentes, bem-sucedidas profissionalmente e instruídas queixarem-se de falta de amor. Elas entram nos relacionamentos de cabeça, entregam tudo o que têm, …

Continuar lendo

O desafio da interpretação: para que servem nossos sonhos?

Freud descobriu que, quando sonhamos, surge um “estranho”, e nem sempre o reconhecemos como nós mesmos, no entanto, somos, sim, nós mesmos. Como sabemos, os sonhos são a janela para olharmos nosso mundo interno. São a chave que une o conscien­te e o inconsciente, e eles têm um sentido. O sentido a que me refiro …

Continuar lendo

Homens com lógica feminina: o encontro entre o amor e o desejo

Já dizia Freud que o homem tendia a separar amor de desejo. Com uma mulher ele vivia a afetividade. Com outra, o desejo sexual. Uma ele via como santa. A outra, como prostituta. Quem nunca ouviu falar sobre mulheres feitas para casar e outras para transar? Essa divisão entre amor e desejo que faz o …

Continuar lendo

Infelizes para sempre?

  Do ponto de vista psicológico, o casamento é uma tentativa de concretizar fantasias e expectativas, conscientes e inconscientes. Cada parceiro carrega consigo sua bagagem de desejos, e tem a esperança de que sejam complementares aos do companheiro. Viver junto implica em reeducar-se e aprimorar essa bagagem. Ensina o casal a superar, por meio do …

Continuar lendo

Fantasias femininas

As fantasias sexuais fe­mininas são produzidas pelo inconsciente e representam as ex­pressões objetivas dos desejos ou a negação deles. Durante muito tempo, acreditou-se que as mulheres não as ti­nham. Hoje, sabe-se que a maioria coloca as fantasias sexuais  em ce­na, isto é, brinca com seu mundo imaginário durante as relações sexuais. Por meio das fantasias, …

Continuar lendo

Por que nós nos negamos a receber o amor?

Por que nós nos negamos a receber o amor? E quando uso o termo amor, me refiro a qualquer tipo de amor: eros, philia ou ágape. Falo desde o amor carnal, paixão, pele, suor, até um gesto de bondade que fazemos a um desconhecido, passando pelas amizades e parcerias amorosas de longa data. Por que, …

Continuar lendo

Para que servem os nossos sonhos?

Os sonhos sempre intrigaram a humanidade. Provocaram muitas inquietações. Trariam eles alguma revelação ou mensagem? Teriam algum sentido? Poderiam ser vistos como cartas cifradas? Um antigo texto egípcio diz: “Deus criou os sonhos para mostrar o caminho àquele que dor­me, cujos olhos estão nas trevas”. Mostra que os antigos, além de darem importância aos sonhos, …

Continuar lendo

O babadook e o lado B da maternidade

O babadook, produção australiana de 2014, dirigida por Jennifer Kent, é muito mais do que um filme de terror assustador. Diferentemente do cinema tradicional de terror e principalmente do de horror, que geralmente se baseiam em lugares comuns e preconceitos,  O babadook mergulha no drama de uma mulher sem forças para amar o filho depois …

Continuar lendo

Momentos de crise

Muitas vezes ocorre  de uma pessoa sentir um mal-estar interno, algo que não sabe definir, já que está no nível inconsciente. Até mesmo quando é consciente, ela tem dificuldade de aceitar esse sentimento. Há momentos em que  ela não se sente bem. Momentos em que, infelizmente, ela não se detém, porque pensar e avaliar faz …

Continuar lendo

A lógica artística é histérica. A acadêmica, obsessiva

Não pretendo dizer que todo artista seja neurótico histérico e nem que todo acadêmico seja obsessivo.  Digo simplesmente que a lógica da arte é histérica porque não se prende à necessidade de se expressar com extrema precisão. O artista não se compromete excessivamente com aquilo que fala. Ele simplesmente fala, simplesmente se expressa, tocando o …

Continuar lendo
© 2019 Caminhos da Psicanálise. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por CriaTec